Cruz Vermelha pede ajuda internacional

A Cruz Vermelha disse hoje que Israel deveria permitir a entrada de agências internacionis de ajuda no campo de refugiados de Jenin para buscar sobrevientes e retirar os mortos. "A noite passada foi a segunda em que estávamos no campo. O trabalho prosseguia e nós percebemos que, para atingirmos nosso objetivo, seria preciso que mais equipes pudessem trabalhar", disse Vincent Lusser, porta-voz do Comitê Internacional da Cruz Vermelha. Ele disse que a organização já procurou equipes especializadas em resgates na Noruega, Suíça e Alemanha e pediu permissão ao governo israelense para o trabalho dessas equipes. Só grupos especializados podem realizar esse tipo de trabalho, lidando com material explosivo e enfrentando o perigo de emboscadas.Não houve resposta imediata do governo porque esta quarta-feira é feriado em Israel, disse Lusser. Ele acrescentou que espera uma resposta amanhã. O porta-voz deixou claro, no entanto, que dar permissão para a ajuda internacional não exime Israel da responsabilidade de promover ações de busca e resgate por seus próprios meios. Lusser disse que o Comitê Internacional não tem condições de confirmar se existem ou não sobreviventes sob as ruínas do campo. Ele também disse não saber dizer quantos corpos já foram resgatados até agora. Já para o delegado da Anistia Internacional, Javier Zúñiga, ainda pode haver pessoas vivas à espera de socorro sob os escombros do campo de refugiados de Jenin, que também pediu uma intervenção humanitária imediata na região."Esta é a pior cena de devastação que eu jamais vi. Existe a possibilidade de que sob os escombros ainda haja gente viva. Um colega de uma organização humanitária local recebeu um telefonema de uma família de dez pessoas que está soterrada, pedindo ajuda", acrescentou Zúñiga.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.