Cruz Vermelha pede US$ 716 milhões para 2004

A Cruz Vermelha pediu US$ 716 milhões para o próximo ano, prometendo não abandonar suas operações de risco no Iraque, Afeganistão e outros lugares. O orçamento reflete o compromisso da Cruz Vermelha em ?continuar como um agente global em todas as situações de conflito armado e violência?, disse Jakob Kellenberger, presidente do Comitê Internacional da Cruz Vermelha.Kellenberger se reuniu com jornalistas nesta terça-feira para lançar o apelo por recursos, que incluem US$ 55,3 milhões para o Iraque e US$ 37,6 milhões para o Afeganistão. Kellenberger disse que o custo total das operações no Iraque para 2004 é incerto, porque a agência ainda avalia seu trabalho ali.Os EUA são os maiores doadores de recursos para a Cruz Vermelha, seguidos pela Grã-Bretanha, União Européia e Suíça. O orçamento pede US$ 27 milhões a menos que ano passado, decréscimo que Kellenberger atribuiu à melhoria das condições no Afeganistão. A Cruz Vermelha também reduziu seus programas nos territórios palestinos, insistindo que cabe a Israel providenciar uma qualidade de vida mínima à população palestina.Outros locais onde a Cruz Vermelha mantém grandes operações são Sudão, Congo, Libéria, Etiópia, Colômbia e Somália. O orçamento previsto para diversos países foi ampliado, incluindo Libéria, República do Congo e Minaram.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.