Cruz Vermelha reduz equipe, mas fica no Iraque

O Comitê Internacional da Cruz Vermelha decidiu reduzir sua equipe no Iraque, mas permanecerá no país, a despeito do ataque suicida contra seu quartel-general em Bagdá. ?O CIVC segue comprometido com a ajuda ao povo do Iraque?, disse Pierre Kraehenbuehl, diretor de operações. Kraehenbuehl disse que a Cruz Vermelha deve, segundo as Convenções de Genebra, permanecer no Iraque, pois o país se encontra sob ocupação.Mas acrescentou que a segurança da equipe ?tem prioridade?, e que os funcionários internacionais que quiserem deixar o Iraque são livres para fazê-lo. Kraehenbuehl disse que a Cruz Vermelha reduzirá o número de funcionários internacionais - hoje são 30 - e ampliará a segurança dos que ficarem. Os 600 funcionários iraquianos continuarão no Iraque.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.