Cruz Vermelha se organiza para tempestade nos EUA

A Cruz Vermelha dos EUA intensificou seus esforços para ajudar as pessoas afetadas pelo furacão Sandy, que atingiu a Costa Leste do país no começo desta semana, matando pelo menos 103 pessoas, enquanto se prepara para uma nova tempestade que deve atingir a região na próxima semana. "As prioridades operacionais da Cruz Vermelha neste momento são logística, alimentação e preparação para a tempestade iminente", disse Charley Shimanski, vice-presidente sênior da entidade para serviços de emergência.

RENATO MARTINS, Agência Estado

03 de novembro de 2012 | 19h29

Enquanto milhões de pessoas nos estados de Nova York, Nova Jersey e região ainda lutam para remover detritos, reconstruir casas e estabelecimentos comerciais e lidam com falta de energia elétrica e de combustíveis, previsões divulgadas neste sábado indicam que uma nova tempestade se aproxima da região, devendo trazer ventos fortes, chuva e talvez até neve.

Um dos principais esforços da Cruz Vermelha tem sido o de estabelecer abrigos aquecidos em toda a região atingida pelo furacão Sandy. "Estamos trabalhando com centros de operações emergenciais para erguer instalações aquecidas e abrigos aquecidos, e estocando esses locais com cobertores e tudo o que for necessário", afirmou Shimanski.

Na televisão, o canal especializado Weather Channel disse que as previsões são de "uma quarta-feira para quinta de muito vento, chuva e frio ao longo do corredor da rodovia interestadual I-95". Segundo Shimanski, a Cruz Vermelha mobilizou toda a sua frota de veículos de resposta a emergências na região, e também toda a força de voluntários. "Agora, temos 4.200 voluntários da Cruz Vermelha trabalhando, e estamos mobilizando milhares de outras pessoas. Estamos trazendo apoio da Cruz Vermelha do México e do Canadá", acrescentou.

Craig Fugate, da Agência Federal de gestão de Emergências (Fema), disse que mais de 122 mil pessoas se ofereceram para dar ajuda e que os depósitos diretos de doadores chegavam neste sábado a US$ 107 milhões. Segundo Fugate, há cerca de 18 mil pessoas vivendo em abrigos temporários.

Tudo o que sabemos sobre:
tempestadeEUACruz Vermelha

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.