Cruzeiro homossexual é recebido com protesto nas Bahamas

Ao desembarcar nas Bahamas, os passageiros de um cruzeiro para gays e lésbicas encontraram mais de 100 manifestantes que carregavam cartazes e gritavam palavras de ordem anti-homssexuais. Os manifestantes, liderados por pastores evangélicos, se reuniram numa praça em frente ao terminal de desembarque gritando ?O caminho gay não é o caminho de Deus!?. Conforme os passageiros desciam, os manifestantes erguiam faixas e cartazes dizendo ?Se você é gay assumido, suma? e ?Não nos curvaremos à agenda gay?.Gregg Kominsky, um fundador da empresa de cruzeiros R Family Vacations disse que os passageiros - 1.150 adultos e 450 crianças - vieram às Bahamas para se divertir e que, em viagens anteriores, o povo das Bahamas havia se mostrado amigável e hospitaleiro. ?Não estamos aqui para passar uma mensagem?, disse.A polícia manteve os manifestantes afastados dos passageiros. Não houve contato direto e ninguém foi preso. ?Nunca aceitaremos seu estilo de vida?, discursou o pastor William Hanchell. ?Não importa quanto dinheiro trazem. As Bahamas são proibidas?, disse outro pastor, Vaughan Miller.Homossexuais já foram tratados como hóspedes indesejáveis no Caribe anteriormente. Várias ilhas têm leis proibindo o contato homossexual, e muitos países têm sociedades conservadoras. Em 1998, As ilhas Cayman proibiram o desembarque de um cruzeiro gay, após protestos populares.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.