CS e Alemanha não alcançam acordo para declaração sobre o Irã

Os cinco membros com direito a veto noConselho de Segurança da ONU e a Alemanha fracassaram em suatentativa de definir uma declaração conjunta sobre o Irã no Conselhode Governadores da Agência Internacional de Energia Atômica (AIEA),disseram nesta quarta-feira diplomatas em Viena. O presidente da França, Jaques Chirac se encontrou com um enviado especial do Irã na terça-feira. Segundo fontes consultadas pela Efe, a principal divergência entre os cinco membros do CS mais a Alemanhaaconteceu porque os Estados Unidos queriam uma linguagem "dura",enquanto Rússia e China preferiam uma linha "moderada". Moscou e Pequim desejariam esperar primeiro o resultado dareunião entre o alto representante de Política Externa e Segurançada União Européia (UE), Javier Solana, e o negociador nuclear doIrã, Ali Larijani, prevista para esta semana em uma cidade européia. Os países europeus conseguiram entrar em consenso para produzir uma declaração que critica a postura iraniana, mas em tom moderado, que não coloca as negociações em risco.Em nenhuma das reuniões anteriores no Conselho de Governadoreshouve um acordo sobre uma declaração conjunta das seis potências quetentam negociar com o Irã, a fim de obter uma saída diplomática paraa disputa nuclear. Mas, diante da recente negativa do Irã de cumprir o ultimatoimposto pelo Conselho de Segurança para interromper seu programa deenriquecimento de urânio antes de 31 de agosto, uma declaraçãoconjunta teria sido um "sinal importante", disse um diplomatapróximo à AIEA. O enriquecimento de urânio é o centro da disputa sobre o programanuclear do Irã, porque pode ser usado tanto para fins civis quantoMilitares. O Conselho de Governadores continua nesta quarta-feira as deliberações sobreassuntos internos da AIEA e, segundo o número de discursosanunciados, o dossiê iraniano deve seja abordado durante a sessão. Mas não está prevista nenhuma decisão sobre o caso iraniano, quedesde fevereiro está sob a responsabilidade do Conselho de Segurançada ONU. Os EUA e os países europeus devem apresentar duras declarações,enquanto os países em desenvolvimento podem se mostrar maiscompreensivos com a postura de Teerã. Chirac se encontra com enviado especialO presidente Jaques Chirac se encontrou em Paris com um enviado especial mandado pelo presidente iraniano, Mahmoud Ahamdinejad. Detalhes da conversa não foram revelados.Hashemi Samareh e Chirac discutiram questões de importância regional durante o encontro, na terça-feira à noite.Chirac "reafirmou o apoio da França" ao chefe de políticas externas da União Européia, Javier Solana, que tem liderado os esforços europeus no sentido de persuadir o Irã a suspender suas atividades nucleares, segundo declaração do palácio Elysée. Solana deve se encontrar com o negociador-chefe da questão nuclear do Irã, Ali Larijani, na terça-feira, para uma terceira rodada de conversas com o intuito de fazer Teerã suspender seu programa nuclear. O local do encontro continua incerto, sendo Paris uma das possibilidades.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.