CS se reúne para examinar relatório sobre Iraque

Os 15 membros do Conselho de Segurança das Nações Unidas se reunirão amanhã formalmente em Nova York para examinar o relatório apresentado na segunda-feira pelos inspetores de armas no Iraque. O chefe da equipe de vistoria, Hans Blix, disse hoje - durante uma exposição por videoconferência para líderes do Parlamento Europeu - que uma ampliação do prazo de inspeções seria "bem-vinda". A tese de que os inspetores devem ter mais tempo para realizar seu trabalho é apoiada pela maioria dos paíseseuropeus e pelos Estados árabes.Por seu lado, o porta-voz da Casa Branca, Ari Fleischer, reiterou hoje que os EUA não precisarão de uma resolução específica, autorizando o uso da força contra o Iraque, para lançar uma ação militar. "Uma resolução nesse sentido seria desejável, mas não é obrigatória", disse Fleischer, ressaltando que a Resolução 1.441 - sobre as inspeções - já advertia Saddam Hussein sobre as "graves conseqüências" que enfrentaria, caso se recusasse a se desarmar.O chanceler britânico, Jack Straw, qualificou hoje de "condenatório e preocupante" o conteúdo do relatório entreguepelos inspetores. "O documento ressalta a conduta reiterada deSaddam de não cooperar, por meio da qual esconde suas armas,seus venenos e suas doenças", declarou o chanceler daGrã-Bretanha, principal aliado dos EUA na defesa de uma açãomilitar para desarmar o regime iraquiano.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.