Cuba autoriza vendas diretas ao setor turístico

Determinação libera negociação de vegetais, cereais e carvão entre produtores que atuam na ilha e hotéis e restaurantes mantidos pelo Estado

HAVANA, O Estado de S.Paulo

22 de novembro de 2011 | 03h04

O governo de Cuba anunciou ontem que vai autorizar o comércio de vegetais, cereais, frutas e carvão diretamente entre os produtores e os estabelecimentos turísticos mantidos pelo Estado. A medida, publicada na Gaceta Oficial cubana, entrará em vigor no dia 1.º e prevê ainda que os envolvidos nas transações estabeleçam os preços que lhes convier.

Segundo a nova regulamentação comercial, porém, os produtos não poderão ser vendidos ao crescente setor dos pequenos negócios, como restaurantes e mercearias particulares, cada vez mais comuns desde o início da aplicação de medidas de abertura econômica, no fim de 2010.

O governo autorizou "produzir e comercializar, de forma atacadista, produtos agrícolas sem processamento industrial, arroz para o consumo e carvão aos estabelecimentos hoteleiros e gastronômicos do setor do turismo". Com o intuito de "simplificar os vínculos entre a produção e o consumidor final", além de "reduzir os gastos de transporte", os novos negócios serão feitos com a moeda local, em vez do peso conversível - de valor similar ao dólar americano - usado nos estabelecimentos classificados como turísticos.

A medida é uma das cerca de 300 determinações de abertura econômica aprovadas pelo Partido Comunista Cubano em abril. "Somada à oportunidade que já temos de vender em escolas, feiras e hospitais, isso nos permitirá depender menos de mecanismos e travas", disse o agricultor Julio Hernández.

Atualmente, esse comércio é regulado por uma estatal que compra - a preços estabelecidos por Havana - e distribui os insumos ao setor turístico. Esse mecanismo continuará existindo e poderá ser usado por quem preferir negociar dessa forma.

Recentemente, o governo de Raúl Castro autorizou o comércio de veículos e imóveis na ilha. / REUTERS, AP e EFE

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.