Cuba cobra de Washington punição a diplomatas

O governo cubano exigiu ontem que os EUA tomem medidas em relação às denúncias que fez contra diplomatas americanos em Havana. O ministro das Relações Exteriores de Cuba, Felipe Pérez Roque, pediu que o presidente dos EUA, George W. Bush, responda às acusações de que diplomatas têm ajudado a financiar a dissidência cubana."Esperamos que o governo americano tome as medidas pertinentes para retificar a conduta de seus diplomatas em Cuba", afirmou Pérez Roque.Na terça-feira, Havana acusou o chefe do Escritório de Interesses dos EUA em Havana, Michael Parmly, de intermediar a entrega de fundos de um cubano-americano preso em Miami para dissidentes que vivem na ilha. Quantias entre US$ 200 e US$ 2.400 teriam sido enviadas por Santiago Álvarez, acusado de terrorismo em Cuba e preso nos EUA por porte ilegal de armas.A acusação tem como base e-mails trocados pela dissidente Martha Beatriz Roque e Parmly. As mensagens indicam que o diplomata atuou como portador do dinheiro de Álvarez para a Fundação Resgate Jurídico, dirigida por Martha. "Temos uma mensagem para o governo dos EUA: investiguem e dêem explicações porque o tema é grave e as provas são sólidas", disse Pérez Roque.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.