Cuba condena salvadorenho por ataques nos anos 90

Um tribunal de Cuba condenou o salvadorenho Francisco Chávez Abarca a 30 anos de prisão por seu envolvimento em uma série de ataques a bomba promovidos na década de 1990 contra hotéis estabelecidos no país comunista, segundo informou hoje o jornal Granma. De acordo com o periódico, órgão oficial do Partido Comunista de Cuba, a condenação por terrorismo foi emitida ontem, um dia depois do início do julgamento. Depoimentos "demonstraram como o réu recrutou, treinou, organizou e financiou" os atentados, diz o Granma.

AE, Agência Estado

22 de dezembro de 2010 | 17h43

O governo de Cuba atribui a autoria intelectual dos atentados a grupos cubano-americanos no exílio e afirmou que Abarca confessou ter sido contratado por Luis Posada Carriles, um opositor do ex-presidente cubano Fidel Castro radicado nos Estados Unidos. Abarca foi preso na Venezuela em 1º de julho, quando tentava ingressar no país com um passaporte falso. Depois ele foi extraditado para Cuba. Nos ataques em questão, realizados em 1997, um turista italiano morreu e 11 pessoas ficaram feridas. As informações são da Associated Press.

Tudo o que sabemos sobre:
Cubaterrorismojulgamento

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.