Jose Goitia/The New York Times
Jose Goitia/The New York Times

Cuba corta temporariamente preço de acesso à internet

Usuários festejaram a decisão de diminuir tarifa pela metade até 10 de abril em centros estatais que cobravam US$ 4,50 por hora

O Estado de S. Paulo

18 de fevereiro de 2015 | 20h06

HAVANA - Cuba reduziu temporariamente a tarifa cobrada para usar a internet por hora nos cafés do governo na primeira e substancial medida para aumentar o acesso online aos cubanos desde a declaração de reaproximação com os EUA.

Virtualmente todas as conexões caseiras de internet continuam sendo ilegais e pagar por acesso em centros do governo continua sendo caríssimo, com a hora mais barata de acesso custando cerca de 10% do salário médio mensal de US$ 20.

Usuários festejaram a decisão de cortar a tarifa em 50% até 10 de abril em centros estatais que anteriormente cobravam US$ 4,50 por hora. A promoção dá aos cubanos duas horas e 16 minutos de acesso à internet por US$ 5.

O presidente americano, Barack Obama, disse no fim do ano passado que Cuba prometera aumentar o acesso à internet, embora autoridades americanas e cubanas tenham dado poucos detalhes sobre o que isso poderia significar. / AP

 

Tudo o que sabemos sobre:
CubaEUAinternet

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.