Cuba cortará 500 mil empregos públicos em 2011

O governo de Cuba cortará meio milhão de empregos públicos no primeiro trimestre de 2011, informou, em pronunciamento, a Central de Trabalhadores da ilha comunista. A administração nacional também abrirá oportunidades para cooperativas e licenças para o trabalho independente, informou a central sindical.

AE-AP, Agência Estado

13 de setembro de 2010 | 16h12

A entidade disse que é necessário realizar mudanças "inadiáveis" para "tornar mais eficiente o atual processo produtivo e laboral" e "avançar na construção do socialismo". O anúncio é feito dias depois de o ex-líder cubano Fidel Castro dizer que o modelo econômico cubano não funcionava mais.

Posteriormente, Fidel voltou a comentar o tema, dizendo que havia sido "mal interpretado" e que "o sistema capitalista que não serve para os EUA e nem para o mundo".O jornalista que divulgou as declarações de Fidel, o norte-americano Jeffrey Goldberg, reafirmou o teor da declaração inicial. Repórter da revista "The Atlantic", Goldberg se encontrou recentemente com Fidel, em Cuba.

Tudo o que sabemos sobre:
Cubareformaeconomiaempregopúblico

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.