Cuba enfrenta pior seca em 50 anos

Governo já entrou em ação para levar água potável até as regiões mais afetadas de Havana.

BBC Brasil, BBC

14 de abril de 2011 | 09h06

A seca que atinge Cuba há dois anos, a mais grave em meio século, chegou ao seu nível mais crítico.

O governo já entrou em ação para transportar água potável até as regiões mais afetadas da capital, Havana, que tem 2 milhões de moradores.

Segundo o correspondente da BBC em Havana Michael Voss, mais de 100 mil pessoas dependem totalmente dos caminhões-pipa para suprir as suas necessidades básicas.

Os habitantes da capital carregam baldes e garrafas pelas ruas da cidade, em busca do máximo de água possível.

Uma moradora entrevistada pela BBC diz que a situação está fora de controle, e lamenta o fato de não conseguir se lavar quando quer, e sim quando é possível.

Já outro morador diz que, com a falta d'água, não consegue limpar sua casa, cozinhar ou lavar suas roupas.

De acordo com o correspondente da BBC, os reservatórios de água de Cuba estão com apenas 20% de sua capacidade normal.

A temporada de chuvas ocorre entre maio e junho, mas o governo estima que os reservatórios não ficarão cheios mesmo que chova normalmente neste período.

A seca não é o único problema no país. Segundo a imprensa oficial cubana, 70% das tubulações que formam o sistema de distribuição de água em Havana estão vazando, e precisam de consertos urgentes.BBC Brasil - Todos os direitos reservados. É proibido todo tipo de reprodução sem autorização por escrito da BBC.

Tudo o que sabemos sobre:
américa latinacubahavanasecachuva

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.