Cuba fatura com Natal e abre site de compras online

Loja virtual vende no exterior e entrega na ilha

, O Estadao de S.Paulo

24 de dezembro de 2008 | 00h00

O país que evitou o Natal por décadas busca agora lucrar com as festas de fim de ano ao promover um site de compras feito para que os cubanos no exílio possam comprar desde flores até televisões de tela plana para seus parentes que moram na ilha.O grupo espanhol Excelencias, em parceria com o governo cubano, criou o site Mallhabana.com, que oferece produtos importados com preços em dólares e promete entregar as compras em até 24 horas para residências em Havana e em até três semanas para os endereços mais remotos no país. O pagamento pode ser feito com cartão de crédito ou transferência bancária.Os produtos disponíveis no site são dos mais variados, desde o tradicional rum cubano até eletrônicos feitos no Japão e guloseimas produzidas no Canadá. Segundo o diretor do site, Sergio Pérez, a loja virtual tem cerca de 20 mil clientes cadastrados e fatura "milhões de dólares" por ano. "É um bom negócio, mas também é uma maneira dos cubanos que estão fora do país ajudar os parentes que ficaram aqui", afirmou Perez.As transações feitas online parecem violar o embargo imposto à ilha pelo governo dos EUA há quase 50 anos, que proíbe os americanos e residentes no país de fazerem comércio com Cuba. No entanto, um porta-voz do Departamento do Tesouro dos EUA, em Washington, não quis comentar o caso.O regime cubano "cancelou" o Natal como feriado em 1966 e desencorajou a população a celebrar a festa abertamente. O Partido Comunista, porém, restabeleceu temporariamente o dia 25 de dezembro como feriado em 1998, depois da visita que o papa João Paulo II fez ao país. Desde então, escolas, escritórios do governo e estabelecimentos comerciais começaram a fechar regularmente no dia de Natal.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.