Cuba inaugura cooperativas experimentais

Cuba inaugurou nesta segunda-feira, em caráter experimental, 124 cooperativas para atuarem em setores como construção, transporte e serviços. O objetivo das primeiras cooperativas não agrícolas em meio século no país é promover ações em áreas da economia nas quais o governo cubano considera que o Estado não vem atuando com eficiência.

AE, Agência Estado

01 de julho de 2013 | 16h41

"Com esta medida estamos apostando na gestão, de maneira cooperativa, de atividades que o Estado não vinha promovendo com eficiência", disse Grisel Tristá, integrante da Comissão Permanente de Implementação e Desenvolvimento, em entrevista ao jornal Granma, do Partido Comunista de Cuba.

A Comissão Permanente de Implementação e Desenvolvimento foi incumbida pelo presidente de Cuba, Raúl Castro, de supervisionar as reformas econômicas implementadas nos últimos anos.

Segundo Tristá, a medida permitirá ao Estado "desprender-se" de atividades que são muito pequenas ou pouco produtivas.

As cooperativas inauguradas hoje atuarão em setores como comercialização de produtos agrícolas, reciclagem de materiais, construção, táxis e transporte escolar, entre diversos outros.

Antes das reformas iniciadas por Raúl Castro em 2010, as únicas cooperativas autorizadas a operar em Cuba durante cerca de cinco décadas eram as de produção agrícola. Fonte: Associated Press.

Tudo o que sabemos sobre:
Cubaeconomiacooperativas

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.