Cuba liberta ativista acusado de agir 'a mando dos EUA'

O governo cubano liberou o dissidente Nelson Alberto Aguiar, um dos ativistas detidos no país há seis anos. Aguiar é o 22º dos 75 presos em 2003 acusados pelo governo cubano de serem mercenários a mando de Washington. Ele foi liberado na noite de ontem, segundo Laura Pollan, uma das chamadas "Damas de Branco", mulher de Héctor Maseda, condenado a 20 anos de prisão.

AE-AP, Agencia Estado

20 de outubro de 2009 | 15h00

Em entrevista, Laura denunciou a política do governo cubano de "tomar como refém nossos familiares e convertê-los em moeda de troca". Não há informações sobre a libertação de outros detentos.

O chanceles espanhol, Miguel Ángel Moratinos, concluiu ontem uma visita de dois dias à ilha, durante a qual se reuniu com o presidente Raúl Castro e pode ter pressionado pela libertação de dissidentes.

Tudo o que sabemos sobre:
CubaEUAativistapreso político

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.