Cuba liberta mais 5 presos políticos, dizem dissidentes

Cuba liberta mais 5 presos políticos, dizem dissidentes

Eles estão entre os 53 presos que Havana decidiu libertar, considerados prisioneiros políticos pelos EUA; a libertação é parte do acordo histórico entre os dois países

O Estado de S. Paulo

08 de janeiro de 2015 | 17h18


HAVANA - Cuba libertou mais cinco detidos considerados prisioneiros políticos pelos Estados Unidos, como parte de um acordo para pôr fim a décadas de hostilidades, disseram dissidentes nesta quinta-feira, 8.

Oito presos foram soltos ao longo das últimas 24 horas, incluindo três na quarta-feira, de acordo com grupos políticos de oposição na ilha comunista, sendo que alguns são membros do movimento dissidente União Patriótica de Cuba (Unpacu).

O compromisso cubano de libertar presos é parte importante do acordo histórico anunciado no mês passado entre EUA e Cuba, segundo o qual os dois governos concordaram em renovar os laços diplomáticos após mais de 50 anos.

Assim como os detidos libertados na quarta-feira, aqueles soltos nesta quinta-feira haviam sido acusados de crimes relativamente menores.

Os membros da Unpacu soltos mais recentemente são Ernesto Riveri Gascon, Lazaro Romero Hurtado, Emilio Plana Robert e Yohannes Arce Sarmientos, segundo o grupo. Outro libertado nesta quinta-feira foi José Manuel Rodríguez Navarro, segundo os dissidentes.

O governo de Cuba não faz comentários sobre ações policiais envolvendo detenções e não disse nada sobre as libertações desta semana. Apenas descreve normalmente os dissidentes como estando a serviço dos EUA. Autoridades de Cuba e dos EUA têm um encontro previsto em Havana ainda neste mês sobre imigração e a normalização de relações diplomáticas. / REUTERS 

Tudo o que sabemos sobre:
CubaEUAprisioneiros políticos

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.