Cuba liberta o sexto dissidente em menos de uma semana

Dando seqüência à surpreendente série de libertações de dissidentes iniciada nesta semana, o regime cubano pôs hoje em liberdade o jornalista Edel José García Díaz, sentenciado a 15 anos de prisão sob a acusação de "conspirar contra a revolução cubana". Com isso, sobe para seis o número de opositores libertados nos últimos dias - entre os 75 detidos pelo regime de Fidel Castro em março de 2003.Desde abril, o número de libertações chega a 13. Sem fazer alarde nem dar maiores explicações sobre as libertações, as autoridades cubanas limitaram-se a informar aos dissidentes que eles estavam sendo beneficiados por uma "licença extrapenal" por tempo indeterminado. Não ficou claro se eles estavam ou não autorizados a deixar o país. García Días, de 60 anos, é cidadão espanhol - seu pai nasceu em Mondoñedo (Galícia, noroeste da Espanha) -, e antecipou hoje que pretende viajar para os EUA, onde vivem dois de seus irmãos. Em 2000, conseguiu visto americano, mas as autoridades cubanas impediram sua saída.Ele explicou que não acha possível seguir com sua atividade como jornalista independente, por causa de problemas de saúde. O opositor se apresentou visivelmente nervoso perante a imprensa estrangeira em Havana.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.