Cuba mantém conquistas sociais, diz Cepal

Apesar de uma crise econômica interna e da pressão externa, Cuba conseguiu preservar suas conquistas sociais, diz um relatório da Comissão Econômica para a América Latina e Caribe (Cepal) divulgado em Santiago do Chile. "Cuba conseguiu manter suas conquistas primordiais no âmbito social, apesar da crise econômica do início dos anos 90 e de um entorno externo adverso", afirma o relatório. O texto sublinha que Cuba preservou sua política social principalmente em áreas como educação, saúde, água, saneamento básico, habitação, alimentação e emprego.Mesmo sem o apoio da comunidade financeira internacional e enfrentando uma queda no preço de seus tradicionais produtos para exportação, a Cepal afirma que o governo cubano vem aumentando desde 1997 seus investimentos na área social. O turismo, gerando cerca de 300.000 empregos direitos e indiretos, é a atividade econômica mais dinâmica em Cuba. Hoje, supera a que havia sido sua principal geradora de divisas, a indústria açucareira. Apenas neste ano, cerca de dois milhões de estrangeiros deverão visitar a ilha comunista. A Cepal assinala que a manutenção da ênfase no social demanda um incremento no crescimento econômico e no aumento de investimentos em infra-estrutura, especialmente em transporte e habitação. Além da Cepal, também participaram da elaboração do estudo o Programa das Nações Unidas para o Desenvolvimento e o Instituto Nacional de Pesquisas Econômicas, uma entidade cubana.

Agencia Estado,

22 de julho de 2004 | 14h36

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.