Cuba: Ministros de Justiça e Recursos Hídricos são demitidos

O Conselho de Estado de Cuba anunciou na sexta-feira, 23, a demissão dos ministros da Justiça, Roberto Díaz Sotolongo, e dos Recursos Hídricos, Jorge Luis Aspiolea, elevando para quatro o total de substituições no governo cubano desde que Raúl Castro assumiu provisoriamente o poder, há oito meses.A decisão foi tomada em uma semana marcada por declarações sobre a melhora do estado de saúde do presidente cubano, Fidel Castro. Ele delegou provisoriamente o poder a seu irmão Raúl, ministro das Forças Armadas, em 31 de julho de 2006, após uma cirurgia. A sua doença é considerada "segredo de Estado".Uma nota do Conselho de Estado divulgada pelo principal telejornal da TV estatal informou que Díaz Sotolongo e o presidente do Instituto Nacional de Recursos Hídricos (cargo com categoria de ministro) foram "dispensados" de seus cargos "por proposta do Birô Político do Comitê Central do Partido Comunista".NomeaçõesPara a Justiça foi nomeada a vice-ministra, María Esther Reus. O presidente do Instituto de Recursos Hídricos será o atual vice-ministro da Construção, René Mesa Villafaña."Os companheiros Aspiolea e Díaz Sotolongo assumirão outras tarefas", concluiu a nota oficial.Roberto Díaz Sotolongo, de 54 anos, é membro do Conselho de Estado, do Comitê Central do Partido Comunista de Cuba e da Assembléia Nacional do Poder Popular, segundo o site do Governo de Cuba. Ele foi nomeado ministro da Justiça em 1996.Em outubro do ano passado, o Conselho de Estado anunciou a nomeação de Jorge Luis Sierra como ministro dos Transportes. Em agosto, um mês depois da saída provisória de Fidel Castro, o comandante Ramiro Valdés, figura histórica da revolução, havia assumido o Ministério de Informática e Comunicações.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.