Cuba: Navio parado no Panamá levava armas obsoletas

O ministro de relações exteriores de Cuba afirmou nesta terça-feira que o navio da Coreia do Norte que foi interceptado no Canal do Panamá carregava 10 mil toneladas de açúcar e "armas de defesa obsoletas" que foram construídas na metade do século 20. As armas seriam consertadas na Coreia do Norte e voltariam para Cuba.

AE, Agência Estado

17 de julho de 2013 | 04h09

O governo cubano afirma que as armas foram enviadas para os norte-coreanos porque Cuba precisa manter a sua "capacidade de defesa, a fim de preservar a soberania nacional".

O ministro de Segurança do Panamá, Jose Raul Mulino, afirmou que o caso seria reportado a Organização das Nações Unidas (ONU), que proíbe estritamente embarques de armas deste tipo sem declaração e autorização. Além disso, existem sanções da ONU que impedem que a Coreia do Norte exporte e importe armas.

No final de semana, autoridades panamenhas detiveram um navio norte-coreano e sua tripulação que haviam partido de Cuba e se dirigiam para a Coreia do Norte levando supostos mísseis ou outras armas sofisticadas. Fonte: Dow Jones Newswires.

Tudo o que sabemos sobre:
cubanaviocoreiapanamá

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.