Alto Comissariado para a Paz / Efe
Alto Comissariado para a Paz / Efe

Cuba oferece mil bolsas do curso de medicina ao governo da Colômbia e às Farc

Pelos próximos cinco anos, Havana dará 500 cursos a Bogotá e outros 500 à guerrilha

O Estado de S.Paulo

16 de março de 2017 | 17h30

HAVANA - Cuba concedeu ao governo colombiano e à guerrilha das Forças Armadas Revolucionárias da Colômbia (Farc) mil bolsas de estudos para o curso de medicina, como contribuição à aplicação do acordo de paz, informou o embaixador cubano em Bogotá, José Luis Ponce.

Desde 2012 Cuba foi sede dos diálogos entre o governo de Juan Manuel Santos e as Farc, a principal e mais antiga guerrilha da Colômbia, que em novembro firmou um acordo histórico de paz.

No documento, assinado no dia 14 de março, mas divulgado nesta quinta-feira (16), Ponce oferece pelos próximos 5 anos 500 bolsas de estudo para o governo e outras 500 para a guerrilha, cujas aulas terão início em setembro.

Os cerca de 6.900 combatentes das Farc, que iniciaram seu combate armado contra o Estado em 1964, agrupam-se em 26 zonas da Colômbia, onde deverão finalizar o processo de entrega de armas e reestabelecimento de sua vida civil.

A guerra interna na Colômbia já deixou 260 mil mortos, 60 mil desaparecidos e 6,9 milhões de deslocados após meio século de combates entre guerrilhas, paramilitares e agentes do Estado.

O Exército de Libertação Nacional (ELN) continua ativo na Colômbia, mas já começa a negociar a paz com o governo colombiano. / AFP

 

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.