Cuba protesta contra invasão por emissoras dos EUA

Cuba protestou perante os EUA e organismos internacionais pelo que qualificou como a invasão de seu espaço aéreo, após a transmissão de uma série de mensagens por rádio e televisão para a ilha - incluindo um discurso do presidente George W. Bush - a partir de um avião da Força Aérea americana. Na última terça-feira, uma aeronave retransmitiu o sinal da Rádio e Televisão Martí, conseguindo superar a interferência preparada pelo governo da ilha para impedir que elas sejam captadas em Cuba. "É uma nova escalada na agressão radiofônica e televisiva", expressou uma declaração da Chancelaria cubana, divulgada nesta sexta-feira pelos meios de comunicação locais. As emissoras - cuja sede está na Flórida, centro da comunidade exilada cubana nos EUA - são financiadas pelo orçamento federal americano "com o objetivo de promover a subversão em Cuba", manifestou a nota oficial. As transmissões provocaram interferências na programação cubana e bloquearam os canais da televisão local em seu horário nobre. Segundo a declaração de Havana, Cuba entregou um protesto diplomático ao chefe do Escritório de Interesses de Washington na capital cubana, James Cason. A denúncia também foi apresentada perante a Comissão Federal de Comunicações do governo dos EUA e outra cópia da acusação foi encaminhada à União Internacional de Telecomunicações.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.