Cuba reafirma pena de morte contra terror

Com o presidente Fidel Castro presidindo a sessão, os legisladores cubanos aprovaram por unanimidade uma lei antiterrorismo mais rígida, que reafirma o uso da pena de morte para atos extremos de terror. O endurecimento na lei contra o terror aprovado na quinta-feira à noite considera a ação terrorista um crime contra o Estado no âmbito do Código Penal cubano. A lei anterior também previa a aplicação da pena de morte em casos extremos. "Sem nenhuma dúvida - eu não tenho a menor dúvida -, (a aplicação da pena de morte) é uma punição apropriada em casos de terrorismo", disse Fidel durante a sessão de debates no Legislativo cubano. O texto da nova lei não foi divulgado imediatamente, mas segundo o noticiário da televisão local, a nova lei amplia a definição de terrorismo.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.