REUTERS/Enrique de la Osa
REUTERS/Enrique de la Osa

Cuba removerá taxa de 10% sobre transações com dólares em espécie

Apesar de o gesto de reciprocidade aos EUA, Havana afirmou que só o fará após testar a nova liberdade de fazer comércio na moeda americana, como uma forma de garantir que a ‘perseguição financeira’ contra os cubanos termine

O Estado de S. Paulo

18 de março de 2016 | 08h12

HAVANA - Cuba fez um gesto raro de reciprocidade aos EUA na quinta-feira, três dias antes da histórica visita do presidente americano, Barack Obama, mas a iniciativa foi acompanhada de uma retórica crítica contra décadas de sanções econômicas.

O ministro do Exterior, Bruno Rodríguez, afirmou que Cuba removerá uma taxa de 10% sobre transações com dólares em espécie como resposta à decisão de Washington nesta semana de afrouxar duras restrições cambiais, mas somente depois de testar a nova liberdade de fazer comércio em dólares.

“Nos próximos dias vamos tentar fazer transferências em dólares com entidades bancárias em outros países e nos EUA para verificar se elas podem ser realizadas”, disse Rodríguez à imprensa. Para se sentirem confortáveis ao fazer negócios com Cuba, declarou ele, “os bancos precisam entender se essa medida significa que no futuro próximo essa perseguição financeira contra Cuba vai terminar”.

Nesta semana, a Casa Branca removeu um regime de sanções existente desde 1960 ao afrouxar restrições sobre comércio e turismo. O governo dos EUA afirmou que permitiria que os bancos americanos realizassem transações em dólar para Cuba desde que o comprador e o vendedor não fossem instituições americanas. /REUTERS

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.