Cuba vai regularizar armas de fogo em poder de civis

O governo cubano abriu um processo para que os cidadãos que têm armas de fogo as registrem formalmente. "Com caráter excepcional e por uma vez apenas", diz um comunicado reproduzido pela agência local Prensa Latina, as pessoas físicas e jurídicas da ilha que tenham em seu poder armas de fogo sem licença poderão obter o registro. Em Cuba não é permitido o porte de armas e apenas alguns funcionários do Estado e militares andam armados, mas nem sempre podem levar suas armas para casa.

AE-AP, Agencia Estado

01 de fevereiro de 2010 | 16h08

A tarefa ficará a cargo da Polícia Nacional Revolucionária e os donos deverão mostrar suas armas e justificar sua propriedade. Muitas das armas que circulam ilegalmente são de fabricação caseira ou fruto de roubos. Os proprietários terão de passar por um exame físico e psicológico, ter conhecimento do manejo da arma e pagar os impostos.

Esta convocação para o registro e renovação será a primeira desde que foi colocado em vigor em 2008 o decreto-lei 262, que regula a posse de armas e munições em Cuba. Estrangeiros com residência temporária no país também devem realizar o registro. Já os agentes de segurança serão convocados em outra data.

Tudo o que sabemos sobre:
Cubaarmasregistro

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.