Cuba veta filme com críticas

Depois de ter sido convidado para exibir seu mais recente filme no Festival de Cinema de Havana, o diretor de Retorno a Ítaca, o francês Laurent Cantet, foi gentilmente informado pela organização da mostra cubana que sua obra não poderia mais fazer parte da programação do evento.

O Estado de S.Paulo

10 de dezembro de 2014 | 02h03

O filme conta a história de cinco amigos que comemoram a volta de um deles a Cuba depois de um exílio de 16 anos na Espanha. O personagem se decepciona com parte do que encontra na ilha. Filmado em apenas 17 dias em Havana, o longa-metragem fala de amizade e desilusões diante da Revolução Cubana e da intensa crise econômica que atingiu a ilha a partir dos anos 90, após a desintegração da União Soviética e o consequente fim da ajuda do Kremlin ao país caribenho, durante o "período especial" - eufemismo usado pelo governo cubano para se referir à profunda recessão que o país enfrentou. "O curador do festival, Iván Giroud, que viu o filme no Festival de Toronto, nos convidou oficialmente. Semanas depois, enviou outro e-mail indicando que isso não seria possível", declarou a produtora do filme, Didar Domehri, afirmando não conhecer o motivo da decisão. Giroud afirmou no início do festival, no dia 4, que a razão para o "desconvite" seria o fato de o filme não se encaixar em nenhuma das categorias. O roteiro foi coescrito pelo romancista e jornalista cubano Leonardo Padura. A obra foi premiada em Veneza e no Festival Biarritz. / AFP

Tudo o que sabemos sobre:
O Estado de S. Paulo

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.