Cúpula da ONU começa investigar presença de agente químico

O secretário-geral da Organizaçãodas Nações Unidas, Ban Ki-moon, determinou que algunsdirigentes da entidade cancelem a participação em um evento noexterior e se reúnam em Nova York para investigar a presença deum agente de armas químicas na sede da ONU em Manhattan. Inspetores anunciaram na quinta-feira que encontraram umapequena quantidade de fosgênio, uma substância, usada em armasquímicas na Primeira Guerra Mundial, que ataca os pulmões epode matar. Os frascos foram levados do Iraque para Nova York há maisde dez anos, e desde então estavam nos escritórios da ONU. O inquérito ordenado por Ban vai determinar ascircunstâncias do transporte do material do Iraque para NovaYork, as razões pelas quais só em 2007 esses itens foramachados, e "os procedimentos de segurança em vigor na sede enos escritórios de campo, bem como até que ponto essesprocedimentos são seguidos", segundo a porta-voz Marie Okabe. Vários dirigentes da ONU participam ou embarcariam paraparticipar de uma reunião em Turim, na Itália, sob apresidência de Ban. O secretário-geral cancelou a participação nesse evento dossubsecretários-gerais David Veness (responsável por segurança)e Alicia Barcena (gerenciamento), da vice-secretária-geralAsha-Rose Migiro e do chefe de gabinete Vijay Nambiar. O FBI retirou na quinta-feira o material da sede da Unmovic(Comissão de Monitoramento e Verificação da ONU), que estáencerrando suas atividades e distribuindo seu material em 125fichários. Especialistas da comissão dizem que a substância, deixadaem uma caixa de metal da época da Comissão Especial da ONU,antecessora da Unmovic, estava lacrada e não representava riscoao público. Os escritórios da comissão não ficam na sedeprincipal da ONU, e sim num anexo a cerca de um quarteirão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.