Cúpula da Unasul vai aprovar documento contra golpes

Presidentes dos 12 países que formam a União de Nações Sul-americanas (Unasul) deverão aprovar ainda hoje a carta democrática, a qual terá um conjunto de compromissos que serão assumidos pelas nações se alguma delas enfrentar uma tentativa de golpe de Estado. A carta democrática foi aprovada ontem pelos ministros de Relações Exteriores dos países na cúpula da entidade, em Georgetown, capital da Guiana. O chanceler do Equador, Ricardo Patiño, disse que a carta prevê sanções econômicas e a expulsão imediata da Unasul do país que infringir a carta democrática.

AE, Agência Estado

26 de novembro de 2010 | 19h38

Os presidentes dos países fizeram uma homenagem hoje ao ex-secretário-geral da Unasul, Néstor Kirchner, falecido em outubro. O ex-presidente argentino foi o primeiro titular a comandar a Unasul. Não foi escolhido um novo titular para o bloco. A Organização dos Estados Americanos (OEA) aprovou uma cláusula democrática similar em 2001. As informações são da Associated Press.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.