Curandeiro paquistanês mata a filha para expulsar espírito

A polícia paquistanesa informa ter capturado um curandeiro de uma cidade remota, acusado de matar a própria filha, por acreditar que ela estava possuída por um espírito do mal. Mohammed Jamal, de 50 anos, foi preso na sexta-feira, 8, depois que moradores da localidade avisaram as autoridades sobre a morte da filha, de 22 anos. A jovem teria sido queimada viva pelo pai, com a ajuda de dois filhos, de acordo com o chefe de polícia local, Javed Shah."Trata-se de um incidente triste. Também prendemos os dois filhos de Mohammed Jamal, e temos policiais investigando", disse ele.Sha diz que a filha de Jamal tinha surtos, e que Jamal acreditava que ela estava sob o controle de um espírito. Milhares de pessoas do país islâmico usam os serviços de curandeiros que afirmam se valer do poder da fé. Esses curandeiros muitas vezes são acusados de abuso financeiro ou sexual, mas assassinatos são raros.

Agencia Estado,

09 de dezembro de 2006 | 13h39

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.