Curdistão iraquiano pede diálogo

O governo autônomo do Curdistão iraquiano pediu ontem aosmilitantes do Partido dos Trabalhadores do Curdistão (PKK) querenunciem a luta armada e tentem defender suas reivindicações de outra maneira. Em nota divulgada na internet, o governo e os partidos políticos da região pedem ao PKK que abandone aviolência e a luta armada como modo de atuah e resolva osproblemas atuais por meio de métodos políticos e diplomáticos.O documento também pede que os militantes mantenham o cessar-fogo declarado no começo da semana. Além disso, o comunicado rejeita o uso do território iraquiano, incluindo a região do Curdistão, como base para ameaçar a segurança dos países vizinhos.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.