Curdos ampliam cessar-fogo unilateral com a Turquia

Um dos líderes do grupo separatista curdo Partido dos Trabalhadores do Curdistão (PKK, na sigla em curdo), Murad Karialan, disse hoje que vai estender seu cessar-fogo unilateral com a Turquia por mais um mês, informou a agência de notícias curda Firat.

AE-AP, COM DOW JONES, Agência Estado

30 de setembro de 2010 | 15h45

Karialan pediu aos líderes turcos que abram negociações sobre as exigências do PKK por maior autonomia do sudeste da Turquia. "É óbvio que o processo vai se transformar num cessar-fogo infinito se os esforços para estimular a confiança mútua ocorrerem no próximo mês", disse. "Caso contrário, vamos reconsiderar nossa proposta", acrescentou Karialan, que falou com os jornalistas de uma base do PKK nos montes Qandil, ao noroeste de Sulaimaniyah, no Curdistão iraquiano.

O PKK iniciou seu cessar-fogo unilateral em meados de agosto, para marcar o mês islâmico do Ramadã. Karialan elogiou o diálogo que o governo turco abriu com o líder encarcerado do PKK, Abdullah Ocalan, e afirmou que o grupo separatista declarou a trégua unilateral após ter recebido uma mensagem de Ocalan, que cumpre pena de prisão perpétua na ilha de Imrali, perto de Istambul.

O PKK conduz uma guerra contra o governo turco desde 1984, na qual já foram mortas mais de 30 mil pessoas. O grupo, que antes defendia a independência dos curdos no sudeste da Turquia, agora luta por maior autonomia.

Tudo o que sabemos sobre:
Turquiainsurgênciacurdoscessar-fogo

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.