Curdos não controlarão petróleo, garantem EUA

Zalmay Khalilzad, enviado especial dos EUA à oposição iraquiana, assegurou ao governo turco que os curdos do Iraque não tomarão a iniciativa de invadir Kirkuk, cidade rica em petróleo, o que poderia ter como conseqüência uma incursão turca no norte do Iraque. "As milícias curdas estão sob o comando e controle dos EUA e não farão nenhum movimento isoladamente", disse Khalilzad. Os curdos estão a 24 quilômetros de Kirkuk. O governo turco receia que os curdos possam criar um Estado independente, se controlarem áreas ricas em petróleo.Entre os curdosOs curdos da União Patriótica para o Curdistão (UPK) estão dispostos a cooperar com as tropas anglo-americanas no Iraque até a derrubada do regime de Saddam Hussein, mas se opõem a que, uma vez terminada a guerra, seja instalada uma administração americana no país, ainda que transitória. Foi o que disse em Moscou Shorsh Said, representante do UPK na Rússia. "Se nos pedirem, estamos dispostos a dar pleno apoio militar à coalizão anglo-americana", disse Said, ressaltando que o objetivo dos curdos é libertar-se do jugo de Saddam Hussein.Afirmou também que o UPK dispõe de uma força militar de 3.000 homens, que já entrou em ação no norte do Iraque contra as milícias Ansar al-Islam, grupo fundamentalista vinculado à Al-Qaeda que se opõe às forças anglo-americanas e combate ao lado das forças de Saddam. Durante tais confrontos, disse Said, "mais de 100 combatentes (do Ansar al-Islam) morreram e 10 foram feitos prisioneiros". O líder do UPK observou que a aliança de facções curdas com os anglo-americanos não significa uma luta contra o uso de armas químicas. Ao mesmo tempo, disse Said, o UPK "se opõe a aceitar no futuro um eventual governo americano-britânico no Iraque". "Pede, em contrapartida, o nascimento de um Estado federal" e considera que "os iraquianos devem decidir com autonomia sobre como viver após a queda de Saddam". Novas tropas americanas teriam chegado nas últimas horas ao aeroporto de Hariri, no norte do Iraque, e teriam sido transportadas em comboios para outras localidades da linha fronteiriça entre a zona controlada pelos curdos e a zona controlada pelos iraquianos, disse hoje o site curdo na Internet www.kerkuk-kurdistan.com, vinculado ao Partido Democrático do Curdistão (PDK). Por sua vez, os fundamentalistas do Ansar al-Islam afirmaram hoje, também através de seu site na Internet, que estão se preparando para lançar ataques suicidas contra as forças anglo-americanas. Disseram também ter redistribuído seus milicianos por outras zonas do Iraque.O emir do Ansar al-Islam no Curdistão iraquiano, Abu Abdallah Al-Chafei, falando pela web em "mensagem aos muçulmanos do Curdistão, do Iraque e do mundo", ameaçou lançar "operações suicidas contra as cruzadas americanas e britânicas". Veja o especial :

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.