CVM venezuelano autoriza governo a seguir com estatizações

A Comissão de Valores Mobiliários da Venezuela autorizou nesta quarta-feira, 4, o governo do país a seguir adiante com sua oferta pela totalidade das ações da telefônica CANTV e da energética EDC. Na última sexta-feira, 30, a Venezuela fez oferta de compra de ações da C.A. Nacional de Televisão da Venezuela (CANTV) com a expectativa de criar uma joint venture de maioria estatal com a maior companhia telefônica do país. O governo espera controlar em torno de 60% a 70% das ações da empresa.Em fevereiro, o governo passou a controlar 28,5% das ações do grupo Verizon Communications em uma negociação de US$ 572 milhões.Na área de energia elétrica, o alvo foi a empresa Eletricidade de Caracas (EDC), controlada pela americana AES Corporation, especializada na produção e distribuição do setor.Também em fevereiro, o grupo assinou acordo com o governo Chávez, com a venda de sua parcela de 82% no negócio por aproximadamente US$ 739 milhões e abriu caminho para a nacionalização.EstatizaçãoAssim que foi eleito pela terceira vez, em dezembro do ano passado, o presidente Hugo Chávez anunciou a nacionalização de diferentes setores, dentro do que chamou de "socialismo do século 21".Chávez está assumindo o controle de setores da economia que considera estratégicos, como projetos de petróleo e usinas de energia, além do setor de comunicação.A Petróleo de Venezuela S.A. (PDVSA), segundo o presidente, controlará a maior parte das transnacionais de petróleo como Exxon Movil e Chevron, dos Estados Unidos, da francesa Total e da britânica British Petroleum. Nem o setor de saúde parece escapar dos planos de Chávez. Na última segunda, o próprio presidente ameaçou nacionalizar também clínicas privadas e hospitais que abusem do preço dos tratamentos.Ele afirmou que se as clínicas privadas continuarem "saqueando" a classe alta e média de seu país, ele deverá regular preços do setor e ameaçou nacionalizar a empresa que não cumprir a regulação.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.