Dalai-lama defende variedade de religiões

O dalai-lama rezou hoje com milhares de seus seguidores na maior congregação religiosa do mundo, o festival hindu de Kumbh Mela, conclamando cristãos e muçulmanos a aceitarem a existência de mais de um deus. O festival é considerado o maior do mundo. Ele deverá atrair cerca de 65 milhões de pessoas até o seu final, em 21 de fevereiro. O nome Kumbh Mela foi tirado da mitologia hindu, quando os deuses descobriram um pote de néctar que os transformou em seres invencíveis diante dos demônios. Os hindus acreditam que podem purificar seus pecados, reduzindo assim o número de reencarnações e alcançando o nirvana. Para que isso ocorra, eles têm de se banhar na confluência do Ganges com outros dois rios sagrados, o Yamuna e o Saraswati, na altura da cidade de Allahabad.Ontem, o dalai-lama rezou em homenagem ao rio, mas não se banhou em suas águas sagradas. Hoje, durante as orações, o líder espiritual supremo do Budismo defendeu a coexistência pacífica das religiões. "O Cristianismo e o Islamismo têm um conceito muito forte de uma religião única. Eu penso que isso deveria mudar. Eu espero que isso mude. Nós precisamos de uma maior variedade de religiões porque existe uma grande variedade de seres humanos", afirmou o dalai-lama.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.