Dalai-lama é operado em hospital de Nova Délhi

Médicos removem cálculo na vesícula do líder tibetano, que passa bem; viagens devem ser retomadas em breve

Associated Press e Agência Estado,

10 de outubro de 2008 | 09h02

Médicos retiraram com sucesso um cálculo na vesícula biliar do líder tibetano dalai-lama nesta sexta-feira, 10. O procedimento foi descrito pelo porta-voz Chhime R. Chhoekyapa como um "procedimento simples, de rotina".   O problema foi descoberto dias atrás, durante exames de rotina. Vencedor do Nobel da paz, o líder religioso budista é visto como o símbolo vivo da luta do Tibete por mais liberdade na China. Ele havia sido hospitalizado em Nova Délhi na quinta-feira. Segundo seus auxiliares, o religioso de 73 anos poderá retomar em breve suas viagens internacionais.   O dalai-lama geralmente passa boa parte do ano no exterior, ensinando o budismo e falando sobre a luta no Tibete. A residência dele fica no norte da Índia, em Dharmsala. Lá funciona o governo tibetano no exílio, estabelecido desde a fuga do Tibete de opositores do regime chinês, após uma fracassada insurgência em 1959.   Após vários confrontos no Tibete em março deste ano, Pequim reforçou sua campanha para condenar o dalai-lama, culpando-o pela violência. Para o governo chinês tratava-se de uma campanha para separar a região do restante do país. O dalai-lama nega tais acusações, argumentando que apenas deseja mais autonomia para o Tibete, de modo a proteger a singular cultura budista dessa área.

Tudo o que sabemos sobre:
dalai-lamaTibete

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.