Dalai-lama reconhece perda de apoio entre seguidores

Tibetano diz ao 'Financial Times' que falta de acordo com governo chinês prejudica liderança entre fiéis

Efe,

26 de maio de 2008 | 09h54

O dalai-lama, líder espiritual do Tibete, reconheceu em entrevista ao jornal Financial Times que está perdendo apoio entre seus seguidores pela recusa do governo chinês a chegar a um acordo sobre o futuro do território.   Veja também: Entenda a questão do Tibete    O líder tibetano que está na Europa para buscar apoio à autonomia tibetana, acredita que as autoridades chinesas iniciarão negociações sérias em breve sobre o assunto. Ele chegou a dizer que se a violência atingir níveis incontroláveis, ele entregará o cargo.   Segundo o dalai, os tibetanos mais radicais estão perdendo a fé em sua estratégia de conseguir mais autonomia através de um diálogo pacífico e defendem a luta contra os chineses. Perguntado se está perdendo o controle de seus seguidores, o dalai-lama respondeu afirmativamente: "Sim, naturalmente. Meus esforços não atingiram resultados concretos, por isso as críticas são cada vez mais fortes".   "Temos que levar adiante esta justa causa sem violência. Se ela se descontrolar, a única coisa que posso fazer é renunciar", comentou. Segundo o dalai-lama, cada vez mais sinais indicam a frustração de muitos tibetanos pela "falta de progressos nas conversas com os chineses". "Muitos tibetanos são da opinião de que nosso enfoque sem violência não está surtindo efeito", reconheceu.

Tudo o que sabemos sobre:
TibeteChinadalai-lama

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.