Dalai Lama reza para "amenizar sofrimento" no Iraque

O Dalai Lama liderou as preces dos tibetanos com o objetivo de "amenizar o sofrimento" no caso de uma guerra liderada pelos Estados Unidos ser iniciada contra o Iraque. Em Dharmsala, na Índia, onde funciona a sede do governo tibetano no exílio, o Dalai Lama qualificou a ação militar norte-americana como "inevitável".Ele pediu ao governo dos Estados Unidos que se esforce ao máximo para evitar uma catástrofe humanitária e um grande número de vítimas do conflito.O líder espiritual tibetano comandou 90 minutos de orações na abertura do Monlam, um festival anual de preces com oito dias de duração e iniciado hoje, no oitavo dia do ano novo tibetano.Segundo o Dalai Lama, pouco pode ser feito para evitar que a única superpotência mundial ataque o Iraque. "A guerra não é mais uma solução viável para os conflitos internacionais", comentou. "Ela pode trazer benefícios de curto prazo para os vencedores, mas causará mais e mais problemas no longo prazo."O Dalai Lama foi premiado com o Nobel da Paz em 1989, por sua luta pacífica para libertar o Tibete da China, e é tido como um proeminente defensor da paz mundial.No entanto, ele ainda não fez nenhuma declaração contundente sobre a possibilidade de uma guerra contra o Iraque, apesar da forte oposição em todo o planeta contra um ataque norte-americano sem a autorização da Organização das Nações Unidas (ONU).

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.