Dama de Branco viaja, beneficiada por nova lei

A dissidente cubana Berta Soler, líder das Damas de Branco, chegou ontem a Madri, juntando-se ao grupo de opositores do regime castrista que saíram do país após serem beneficiados pela nova Lei de Migração, que desde 14 de janeiro facilita o trânsito dos cidadãos ao exterior. Ao chegar à Espanha, Berta afirmou que a repressão do governo de Cuba "recrudesceu" e defendeu o embargo dos EUA contra a nação socialista. Para a dissidente, a flexibilização nas regras migratórias de Cuba deveu-se à pressão internacional. A dama pretende passar também pela Polônia e por Estrasburgo, na França.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.