AFP
AFP

Damasco e ONU fecham acordo para envio de capacetes azuis à Síria

Ele regerá a missão avançada de observadores e, posteriormente, o desdobramento de um Mecanismo de Supervisão

Efe,

19 de abril de 2012 | 11h42

GENEBRA - A ONU e o Governo da Síria assinaram nesta quinta-feira, 19, em Damasco acordo para enviar capacetes azuis para supervisionar o cessar-fogo no país.

Veja também:

linkCidade síria é alvo de tiroteio durante visita de monitores

linkAssad mantém observadores da ONU em gabinetes enquanto ataca rebeldes

linkRússia diz que forças externas afetam pacificação síria

Ahmad Fawzi, porta-voz do enviado especial do secretário-geral da ONU e da Liga Árabe para a Síria, Kofi Annan, informou em comunicado que se trata de um acordo sobre os termos do protocolo que regerá a missão avançada de observadores e, posteriormente, o desdobramento de um Mecanismo de Supervisão (UNSM).

Com o objetivo de vigiar e consolidar o fim da violência de todas as partes e formas e a aplicação do plano (de pacificação) de seis pontos do enviado especial conjunto, a missão de contar com 300 observadores.

"Este acordo detalha as funções dos observadores no cumprimento de seu mandato na Síria e a tarefas e responsabilidades do Governo sírio a respeito", acrescentou o porta-voz.

O escritório de Annan confirmou ainda estão ocorrendo conversas com os grupos armados da oposição sobre o desdobramento da ONU.

Fawzi destacou que "uma equipe eficaz de observação no terreno é vital se o objetivo é que as vidas das famílias sírias voltem lentamente ao normal".

"Esta é a razão pela qual o enviado especial Kofi Annan fez da cessação da violência de todas as partes e em todas suas formas, sob mecanismo de supervisão eficaz da ONU, o primeiro passo essencial para levar a paz à Síria, um plano que tem o apoio arrasador da comunidade internacional", indicou na nota.

O porta-voz de Annan parabenizou este primeiro avanço, mas advertiu que "a parte difícil vem agora: um autêntico diálogo político liderado pelos próprios sírios que assuma as preocupações e as aspirações legitimas do povo".

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.