Daniel Ortega é eleito presidente da Nicarágua

O líder sandinista Daniel Ortega venceu as eleições presidenciais da Nicarágua, segundo resultados parciais divulgados nesta terça-feira, 7. Com 91% das urnas apuradas, Ortega obteve 38% dos votos contra 29% de seu maior adversário, o candidato formado pela universidade norte-americana de Harvard Eduardo Montealegre. Segundo a legislação nicaragüense, o vencedor tem de ter ao menos 35% dos votos e cinco pontos percentuais a mais que o segundo colocado para ser eleito em primeiro turno. Amizade com os EUA Mesmo com seu passado antiamericano, Ortega manifestou sua disposição amistosa com relação aos EUA. "O senhor Ortega falou conosco sobre sua vontade de procurar uma forma de trabalhar em harmonia com os Estados Unidos", declarou o ex-presidente americano Jimmy Carter. Em entrevista coletiva, à qual compareceu acompanhado do ex-presidente do Panamá, Nicolás Ardito Barletta, e do ex-presidente do Peru, Alejandro Toledo, Carter informou sobre o conteúdo da reunião que teve na noite de segunda, 6, com Ortega. Segundo o ex-presidente americano, Ortega prometeu continuar respeitando o Tratado de Livre-Comércio entre Estados Unidos, América Central e República Dominicana (CAFTA-DR, na sigla em inglês). Carter acrescentou que Ortega também prometeu respeitar o direito à propriedade e às liberdades civis. "Se o comandante Ortega diz em público que respeitará as relações comerciais, as liberdades civis, etc, penso que o melhor é dar a ele o benefício da dúvida e deixar que suas ações façam com que ele mereça nossa confiança", acrescentou. "Anomalias" Carter também minimizou as "anomalias" no processo eleitoral da Nicarágua denunciadas pela delegação de observadores eleitorais enviada pelo presidente dos Estados Unidos, George W. Bush. "Nossa avaliação é de que não há nenhuma dúvida quanto à integridade das eleições", disse. Observadores da Organização dos Estados Americanos (OEA) também afirmaram que as votações foram pacíficas, maciças e que respeitaram a lei, enquanto o chefe da missão da União Européia, o italiano Claudio Fava, afirmou que não houve fraude e que foi uma grande conquista para o povo nicaragüense. Ex-revolucionário Ex-guerrilheiro de orientação marxista e amigo do presidente venezuelano Hugo Chávez, Ortega uniu-se à luta armada contra a ditadura de Anastasio Somoza em 1963. Membro da Frente Sandinista de Libertação Nacional, ele participou do levante que derrubou Somoza em 1979, mas foi derrotado nas urnas em 1990 após anos de guerra civil contra insurgentes financiados pelos Estados Unidos. Diversos investidores temem que Ortega não cumpra os compromissos com as políticas de livre comércio prometidas durante as eleições. Os temores derivam do primeiro mandato do ex-guerrilheiro socialista, que entre 1985 e 1990 expropriou propriedades privadas, empresas e cuja guerra contra os rebeldes pró-EUA resultou na morte de 30 mil pessoas. Matéria ampliada às 23h28

Agencia Estado,

07 Novembro 2006 | 22h56

Encontrou algum erro? Entre em contato

publicidade

publicidade

publicidade

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.