Esteban Felix/AP
Esteban Felix/AP

Daniel Ortega é reeleito na Nicarágua

Ex-guerrilheiro obteve mais de 60% dos votos; adversário não reconhece derrota e acusa fraude

Reuters

07 de novembro de 2011 | 20h18

MANÁGUA - O presidente da Nicarágua, Daniel Ortega, foi reeleito por ampla maioria nesta segunda-feira, 7, de acordo com os resultados oficiais divulgados pelo Conselho Supremo Eleitoral (CSE) do país. O líder tem grande apoio devido aos programas que manteve durante seu governo para atenuar a pobreza.

 

Ex-guerrilheiro marxista e desafeto dos Estados Unidos durante a Guerra Fria, Ortega obteve 62,65% dos votos, com 85,8% das urnas apuradas, afirmaram as autoridades eleitorais. "Quero felicitar, depois de divulgar este dado oficial, o atual presidente da República, porque isso não quer dizer que é uma tendência reversível", disse Roberto Rivas, presidente do CSE.

 

Os votos obtidos por Ortega são mais que o dobro dos recebidos pelo seu melhor concorrente, o empresário e locutor Fabio Gadea (30,96%), que disse não aceitar os resultados por considerar que eles "não refletem a vontade do povo". "Foi um exercício cuidadosamente planejado pelo orteguismo para alterar a vontade popular, o que traz suspeitas de que houve fraudes", protelou.

 

Ortega, que não havia dado declarações até a tarde desta segunda, ficará no poder por mais cinco anos, agora apoiado pela Assembleia Nacional, onde seu partido, a Frente Sandinista para a Libertação Nacional (FSLN), tem maioria.

 

"Hoje o povo nicaraguense está reconhecendo esses valores do bom governo, está respaldando esses valores e está dizendo categoricamente que queremos viver em paz, queremos seguir prosperando", disse Rosario Murillo, esposa do presidente, que exerce forte influência no governo. 

Tudo o que sabemos sobre:
OrtegaNicaráguaAmérica Latina

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.