De hospital na França, Arafat condena atentado em Israel

De sua cama no hospital francês, o líder palestino Yasser Arafat condenou atentado suicida em Tel Aviv. Com a declaração, Arafat sinaliza que continua no comando apesar de seus problemas de saúde. Arafat pediu a "todas as facções palestinas que evitem provocar danos aos palestinos", depois de um adolescente suicidar-se ao explodir uma bomba em um mercado de Israel, deixando três mortos e 32 feridos.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.