De improviso, papa pede a coreanos que rezem pela unificação da península

Pouco antes da chegada do papa a Seul, a Coreia do Norte lançou mísseis de curto alcance

REUTERS

15 de agosto de 2014 | 08h16

O papa Francisco pediu nesta sexta-feira aos sul-coreanos que rezem pela reunificação da península coreana, dizendo que deveriam ter como meta se reunir como uma única família "sem vencedores ou vencidos".

O papa, na referência mais direta já feita por ele sobre a divisão da Coreia desde o início, na quinta-feira, de sua visita de cinco dias à Coreia do Sul, fez os comentários em resposta à pergunta de uma menina durante um encontro com jovens.

"Vamos rezar por nossos irmão no norte", disse o papa, antes de liderar os jovens em uma reza.

"Senhor, somos uma família. Ajude-nos a alcançar a união. O Senhor pode. Para que não haja vencedores ou vencidos. Só uma família, somente irmãos", disse ele, de improviso.

A guerra da Coreia (1950 a 1953) terminou com uma trégua que continua vigente, o que tecnicamente significa que o Sul e o Norte continuam em estado de guerra.

"Somos irmãos que falam a mesma língua... pensem em seus irmãos no norte. Eles falam a mesma língua e quando se fala a mesma língua em família há uma esperança humana", disse o papa, clamando aos ouvintes a "não se desesperar". / Reuters

Tudo o que sabemos sobre:
RELIGIAOPAPACOREIAN*

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.