De Klerk, último presidente do apartheid, é internado

O último presidente da era do apartheid na África do Sul, Frederik Willem de Klerk, de 77 anos, foi internado para a colocação de um marca-passo para melhorar as funções cardíacas.

AE, Agência Estado

02 de julho de 2013 | 18h25

De Klerk dividiu com Nelson Mandela o Prêmio Nobel da Paz, em 1993, por propiciar a abertura que resultou no fim do regime de segregação racial que vigorou no país durante quase meio século.

A internação de De Klerk ocorre em um momento no qual Mandela também encontra-se internado. Hoje, Mandela completou 25 dias de internação em um hospital de Pretoria para onde foi levado em 8 de junho por causa de uma infecção pulmonar recorrente. Desde então, há uma onda de preocupação pela saúde do ex-presidente, na África do Sul e no mundo.

Durante 27 anos, Mandela foi prisioneiro do apartheid. No fim dos anos 1980, ele negociou o fim do governo racista com de Klerk. Como presidente, de Klerk anistiou Mandela em 1990. Quatro anos mais tarde, Mandela se tornaria o primeiro presidente democraticamente eleito da África do Sul. Fonte: Associated Press.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.