De la Rúa apela por unidade nacional e pede poderes especiais

O presidente da Argentina, Fernando De la Rúa, convocou um "governo de unidade nacional" em pronunciamento esta noite em cadeia de TV. De la Rúa disse que já recebeu "respostas patrióticas" das lideranças políticas do país e que precisaria da união também de empresários e sindicatos.O motivo da convocação é o de evitar o colapso de seu governo e a suspensão de pagamentos da dívida externa. O modelo a seguir é o do "Pacto de La Moncloa" (pacto entre as diversas forças políticas da Espanha nos anos 70) em versão argentina para retirar o país da profunda crise política em que está mergulhado. Esta seria a primeira vez na História da Argentina que se formaria um gabinete de união nacional.O presidente afirmou que pediria ao Congresso "poderes especiais", possivelmente pelo período de um ano. Além disso, De la Rúa falou sobre o grande endividamento argentino, insistindo várias vezes em que "o país pede ao exterior mais de US$ 11 bilhões de dólares por ano, para poder funcionar. O Estado nacional e as províncias não podem mais resistir por mais tempo".De la Rúa disse que "as fantasias acabaram, que sabia "das angústias" do povo, e que "não havia tempo a perder". Segundo ele, "quero terminar com esta desgraça".

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.