De la Rúa e Cavallo proibidos de deixar a Argentina

A juíza Maria Servini decidiu hoje proibir que saiam da Argentina o ex-presidente Fernando de la Rúa, o ex-ministro do Interior Ramon Mestre, o ex-secretário de Segurança Enrique Mathow e o ex-comissário geral de polícia Ruben Santos. O ex-ministro da Economia, Domingo Cavallo, já havia recebido proibição semelhante, emitida pelo juiz Júlio Speroni, na tarde de ontem.No caso de De la Rúa, a proibição foi motivada pela apuração das mortes e da violenta repressão policial, durante confronto com manifestantes em todo o país. Dois promotores federais haviam apresentado, mais cedo, denúncia contra o ex-presidente pelos delitos de ?homicídios reiterados, lesões gravíssimas, abuso de autoridade e privação ilegal da liberdade?, pela violenta repressão a manifestantes na Praça de Maio, em Buenos Aires.Já Cavallo foi proibido de deixar o país por meio de uma notificação relacionada à investigação sobre o contrabando da armas para o Equador e Croácia. O ex-ministro pediu à Justiça, hoje, que reveja a proibição. Cavallo teme por sua segurança devido aos maciços protestos de rua que precipitaram sua renúncia, disse hoje um de seus advogados. Leia o especial

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.