De la Rúa realiza reunião de emergência

O governo argentino ainda não confirmou oficialmente, nem desmentiu, a renúncia do ministro da Economia, José Luis Machinea, noticiada pela imprensa local na noite de ontem, mas o presidente Fernando de la Rúa realizou uma reunião de emergência com seus principais assessores esta manhã.Na residência oficial de Olivos, De la Rúa conversou com o ex-presidente Raúl Alfonsín, líder de seu partido, a União Cívica Radical, e com o ex-presidente Carlos Álvarez, presidente da Frente por um País Solidário (Frepaso), que também forma a coalizão governista. O assessor de imprensa da presidência da República, Darío Lopérfido, pediu "prudência" aos meios de comunicação até que o governo faça um anúncio oficial sobre a situação de Machinea. Machinea, de 54 anos, está no cargo há 15 meses e tem sido duramente criticado por não conseguir reavivar a economia argentina, abalada por uma estagnação que dura dois anos e meio. O ministro teria se comprometido a permanecer no governo até a escolha de seu substituto. Uma fonte de Olivos informou que De la Rúa já ofereceu o posto a seu chefe de gabinete, Chrystian Colombo, economista e banqueiro. Colombo, ex-presidente do Banco de la Nación Argentina, ainda não teria aceitado, mas estaria disposto a se reunir com o presidente ainda hoje. Outro candidato, citado pela imprensa de Buenos Aires, é o ministro da Defesa, Ricardo López Murphy, bem conceituado nos círculos financeiros devido às suas posições ortodoxas quanto à economia do país.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.