De la Rúa sofre de arteriosclerose

O ministro argentino da Saúde, Héctor Lombardo, revelou nesta terça-feira que o presidente Fernando de la Rúa sofre de arteriosclerose - doença que qualificou como "normal para pessoas de idade avançada". "O fato de aparecer esta enfermidade não torna seu portador incapacitado" para exercer a chefia do Estado, disse Lombardo, que tem sido o porta-voz desde que o presidente foi submetido na sexta-feira passada a uma operação para desobstruir sua artéria coronária direita. Em declarações a uma emissora de rádio, Lombardo tentou minimizar a importância da situação enfrentada pelo presidente, dizendo tratar-se de um mal freqüente nas pessoas, "à medida que aumenta sua idade e as artérias vão envelhecendo".Quando a rádio lhe perguntou se "o presidente tem arteriosclerose", o ministro respondeu "tem" e acrescentou que "o presidente exatamente anterior a Fernando de la Rúa, Carlos Menem, padeceu da mesma enfermidade: fez a desobstrução (arterial) e continua levando vida normal". De la Rúa, de 63 anos, foi submetido na sexta-feira a uma angioplastia, operação para desobstruir sua artéria coronária, da qual os médicos disseram que ele se recuperou muito bem. O presidente voltou às suas funções na Casa Rosada na segunda-feira.Os médicos negaram versões de que De la Rúa também sofre de obstrução na artéria coronária esquerda. A arteriosclerose se caracteriza pelo engrossamento e perda de elasticidade das paredes arteriais e é provocada pelo aumento de lipídeos no sangue - especialmente o colesterol, que fica depositado nas paredes, obstruindo a circulação.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.