De luto, famílias de Columbine citam tiroteio na Virgínia

No dia do oitavo aniversário do tiroteio na escola primária de Columbine, nos Estados Unidos, famílias de Littleton relembraram massacre em seu estado e também ficaram de luto nesta sexta-feira, 20, pelo tiroteio na Virginia Tech.Familiares ainda questionam a decisão judicial de não divulgar informações sobre os assassinos.A Columbine High School ficou fechada nesta sexta-feira. O colégio faz este ritual desde 20 de abril de 1999, quando os estudantes Eric Harris e Dylan Klebold mataram 12 colegas e depois se mataram.Invocando a tragédia em Columbine, o governador do estado, Bill Ritter, pediu que a população também fizesse um momento de silêncio em homenagem às vítimas de Virginia Tech. "Nós vivemos uma terrível tragédia na escola de Columbine", disse Ritter. As pessoas de Colorado ficaram em solene silêncio não só por isso, mas também pelo que ocorreu em Virgínia", acrescentou.No entanto, o juiz Lewis Babcock decidiu no início de abril que as informações sobre os assassinos não seriam mais divulgadas e isto gerou revolta da população"Eu não acho que dá pra parar uma pessoa louca. Mas se algumas informações dos assassinos fossem abertas, saberíamos o que eles fizeram e como", disse DonFleming, pai de uma das vítimas de Columbine. "Se a sociedade soubesse das informações, talvez fosse porssível prevenir novos ataques como este", acrescentou.Cho Seung-Hui, autor do tiroteio em Virgínia que deixou 33 mortos incluindo ele, chamou Harris e Klebold de mártires durante o vídeo que enviou para NBC, e que foi divulgado na última quarta-feira.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.